Quinto Aniversário da Central Fotovoltaica de Monte Trigo

Quinto Aniversário da Central Fotovoltaica de Monte Trigo

A Central Fotovoltaica de Monte Trigo celebra neste mês, o quinto ano de funcionamento de forma ininterrupta, contínua e segura.

Monte Trigo é a primeira aldeia de Cabo Verde alimentada 100% com energia renovável, funcionando desde Fevereiro de 2012. Cinco anos após, a Central Fotovoltaica celebra o seu aniversário sob lema “Monte Trigo, cinco anos na Rota do Sol”.

A Central Fotovoltaica de Monte Trigo foi co-financiada, no quadro do Projecto SESAM-ER pela União Europeia e Câmara Municipal do Porto Novo e implementada por consórcio de empresas especializada em energias renováveis, liderada pela Empresa Águas de Ponta Preta (APP).

Com a entrega oficial da Central Fotovoltaica de Monte Trigo à Câmara Municipal do Porto Novo, a gestão da Central Fotovoltaica passou a ser co-parceria com Águas de Ponta Preta (APP), no âmbito da política de responsabilidade social corporativa da empresa.

O aniversário da Central de Monte Trigo, mais que uma comemoração, simboliza a importância das energias renováveis como uma alavanca de desenvolvimento sustentável, com impactos incontornáveis na economia, estabilidade social e na protecção ambiental, sobretudo em zonas afastadas e isoladas.

Monte Trigo é uma das localidades de Cabo Verde com maior nível de isolamento. O isolamento tem impacto direto no contexto socioeconómico da localidade, fortemente marcada pela pobreza e insegurança alimentar, sobretudo motivado pelo pouco acesso aos serviços básicos, (água, saúde, educação, transportes, infra-estruturas) emprego e mercados de bens.

Com uma população, de 274 habitantes (censo 2010), a localidade enfrenta vários desafios, condicionados pelo acesso insuficiente aos serviços básicos e pela inexistência de mecanismos públicos de mobilidade e acessibilidade a outras localidades. A principal actividade económica, tendo em conta o contexto geo-climático, é a pesca, cujo desenvolvimento económico está condicionando ao mercado de São Vicente.

Após cinco anos são evidentes os impactos do acesso aos serviços energéticos 24/24 horas:

  • Melhoria geral da qualidade de vida da comunidade de Monte Trigo (em especial no âmbito da segurança alimentar e Nutricional, gestão do tempo, previsibilidade e planificação diária familiar e comunitária, diminuição do nível de isolamento da comunidade e redução dos riscos quotidianos);
  • Melhoria da principal actividade económica, as Pescas, no que diz respeito ao acesso ao gelo a nível local, e da gestão do stock e conservação de peixes (evitando desperdício dos recursos das pescas);
  • Melhoria das condições de segurança, com a iluminação da praia facilitando o acesso aos pescadores na ida e volta das pescas;
  • Acesso contínuo e ininterrupto às redes de comunicação como TV e rede de internet e serviço móvel de telefone (informação e entretenimento);
  • Maior afluência de turistas e visitantes e integração da localidade no circuito Trekking;
  • Melhoria do ambiente de negócios, aparecimento de novas actividades económicas como alojamento devido o aparecimento do turismo rural, no âmbito das comunicações e melhoria e expansão do comércio local);
  • Melhoria do Medio Ambiente com um sistema de geraçao de energia eléctrica limpa, com recurso autónomo e sem qualquer tipo de contaminação aérea e marítima.

Estes impactos são evidências de 169 MWh de energia solar produzida, 152 MWh de energia consumida, 49 465 litros de gasóleos poupados e 148 toneladas de gás CO2 evitados.

Estes dados, mesmo que sejam irrisórios à escala nacional, posicionam Monte Trigo, como uma localidade de referência em matéria de energia solar, comprovando a viabilidade desta fonte de energia como solução para incrementar a penetração das energias renováveis no país e sobretudo para as zonas isoladas, pequenas e dispersas de Cabo Verde.

 Monte Trigo simboliza igualmente uma pequena contribuição para o estabelecimento da soberania nacional energética e amostra da viabilização das políticas nacionais de redução da dependência energética (diminuição da importação de combustíveis fosseis e das perdas no seu transporte, consumo responsável e eficiência energética, aumento da penetração das energias renováveis no sistema nacional).

Demonstra igualmente viabilidade e fiabilidade das energias solares, com bastante amadurecimento tecnológico no mercado e preços competitivos.

A instalação fotovoltaica em Monte Trigo foi modular e foram utilizados edifícios já existentes, nomeadamente a Escola de Ensino Básico, criando um espaço de conforto harmonioso em que para além de ser utilizada para actividades lúdicas e pedagógicas da Escola, é um dos miradouros da Aldeia e um ponto de encontro comunitário.

Do global ao local, é evidente a contribuição de Monte Trigo, na protecção ambiental e redução das emissões de CO2 para atmosfera com o efeito de estufa e as alterações climáticas.

Durante o presente ano comemorativo, a Câmara Municipal e APP realizaram um conjunto de actividades de reflexão sobre as energias renováveis e sobre as zonas isoladas.

Written by pontapreta

Website:

0 comments

Leave a comment

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *